quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Lapas

A explorar a Lapa, um fruto mar nem sempre valorizado




Um fruto do Mar, nem sempre considerado, uma espécie de filho menor de Neptuno. Um molusco que se desenvolve nas rochas, à superfície da água, agarrado não com unhas e dentes, mas com uma espécie de ventosa.

De textura consistente, elástica até, apreciada tanto em cru como nas mais diversas confecções, desde o escaldado, passando pelos grelhados e terminando no tacho, numa feijoada ou num outro qualquer pitéu.


video

Essa textura robusta, um ponto fraco alguns, é precisamente a sua mais valia, com robustez para sustentar confecções mais pesadas como um arroz ou uma saborosa feijoada.

Escaldar é o suficiente para se desalojarem da sua casca, podendo ser logo apreciadas ou reservadas para posterior integração num prato. A confeção na chapa também é muito comum, terminadas com um molho de manteiga e limão. Tomatadas, saladas, arrozes e feijoadas são algumas outras aplicações comuns.

Salada de Lapas (Lapa escaldada, Pickles, Azeite e Vinagre)
Em termos de harmonizações, muitas são opções viáveis para acompanhar com sucesso, dependendo muito da sua confeção. Tendo como princípio vinhos vinhos de influência marítima pela natural ligação ao toque de mar, será uma questão de procurar mais ou menos frescura e mais ou menos corpo consoante o prato necessite de mais ou menos acidez e se é mais ou menos estruturado. De uma forma genérica, penso em vinhos das regiões costeiras como Vinho Verde, Bairrada e Lisboa, mas sobretudo nas ilhas da Madeira e dos Açores.

Lapas de Tomatada (Tomate, Cebola, Pimentos)
Avinhado a 4 de Agosto de 2017
#enogastronomia
#avinhar

Sem comentários:

Enviar um comentário